Cultura negra e legado científico africano para um ensino mais dinâmico das ciências naturais

apontamentos teórico-metodológicos

  • Felipe Fontana
  • André da Paixão Gomes

Resumo




Um dos eixos estruturantes dos campos denominados de Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) e de História e Filosofia das Ciência3 é a possibilidade de compreen- dermos que há múltiplos pensamentos científicos produzidos por outros povos e outras culturas que não os reconhecidamente ocidentais. Ou seja, não é somente a concepção eurocêntrico-moderna de ciência que é válida, verdadeira e relevante. Nesse sentido, observamos que a ciência – dentro destes eixos disciplinares – é considerada uma construção social, econômica, política, cultural e intelectual que possui variedades tipológicas, conceituais e temáticas. Na maioria dos casos, a concepção moderna de ciência – construída após a Idade da Média e com grande influência de movimentos históricos, tais como o Renascimento e o Iluminismo – exclui em grande medida outras formas de pensamentos científicos. Isso é propriamente aquilo que aconteceu com o legado cientifico do povo negro; ou seja, aqui, admite-se que há um pensamento cientifico relativo aos povos e à cultura africana que também gerou tecnologias, artefatos, instrumentos, técnicas, constructos e produtos im- portantes vinculados a um pensamento científico africano que de alguma forma: 1) não foram apropriados à cultura ocidental (foram esquecidos/negligenciados); 2) foram apropriados pelo “mainstream” das ciências sem o merecido crédito; 3) ou ainda, foram estigmatizados.




Publicado
05-07-2018
Como Citar
FONTANA, Felipe; GOMES, André da Paixão. Cultura negra e legado científico africano para um ensino mais dinâmico das ciências naturais. Revista Sociologia, Política e Cidadania, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 1-15, jul. 2018. ISSN 2595-3869. Disponível em: <http://ojs.funepe.edu.br/index.php/sociologia/article/view/35>. Acesso em: 13 ago. 2020.
Seção
Artigos